Estádio

História do Barão

Inaugurado no dia 4 de setembro de 1965, ainda inacabado após quase cinco anos de obras, pelo então prefeito municipal Luciano Guidotti, o Estádio Municipal Barão da Serra Negra, denominado por meio da lei 1.365 de novembro de 1965, é a casa do Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba.

O projeto de construção do estádio do XV, que até então mandava seus jogos no extinto Roberto Gomes Pedrosa, foi iniciado efetivamente por meio da lei 368 de 3 de julho de 1953, sancionada pelo prefeito Samuel de Castro Neves. Mas foi outra lei, a de 924 de 24 de novembro de 1960, sancionada pelo prefeito Francisco Salgot Castillon, que autorizou a construção.

A primeira partida disputada no local foi entre o Alvinegro Piracicabano e o Palmeiras, duelo que terminou empatado em 0 a 0, com um público de 15.674 pessoas e renda de Cr$ 19.825.000,00. Anterior ao início do jogo, o Nhô Quim homenageou o presidente da equipe paulistana, Delfino Facchina, que por sua vez ofereceu uma placa de bronze para a Prefeitura de Piracicaba. O XV de Piracicaba, do técnico Gilson Silva, foi escalado com Sílvio; Virgílio, Pescuma, Dorival e Chiquinho; Bastos e Emílio; Warner, Rodarte, Benê e Sabino.

Na sequência, mais dois jogos contra outros grandes da capital: São Paulo e Corinthians. Contra o Tricolor, mais um empate sem abertura do placar, já contra o Corinthians saíram os primeiros gols, porém, a maioria a favor do adversário. Flávio, duas vezes, e Marcos marcaram para o Alvinegro da capital, enquanto Pescuma descontou para o XV. Assim, o atacante corinthiano Flávio ficou gravado na história como autor do primeiro gol do Barão.

A torcida piracicabana precisou, portanto, esperar mais um pouco para comemorar a primeira vitória do time do coração em seu novo estádio. E ela veio no dia 26 de setembro do mesmo ano, quando o XV venceu o Comercial por 3 a 1, em peleja válida pelo Campeonato Paulista de 1965. Os tentos quinzistas foram anotados por Chiquinho, Benê e Tabai.

Inicialmente capaz de comportar 26.528 torcedores, o Barão, devido às restrições legais, teve sua capacidade limitada em 18.799 pessoas. As dimensões atuais do campo são de 100m x 67m. O estádio integra o Conjunto Esportivo Municipal, que conta também com ginásio principal, miniginásio, conjunto de piscinas e pista de atletismo.

 

Fonte: texto de Sabrina Franzol e Camila Piacentini escrito para o livro oficial do centenário do clube, “100 anos: Destemido e Valente”